Dicas para reduzir o consumo de açúcar!

Meus dias mais tranquilos e saudáveis->
Eu quero

O açúcar é um alimento com uma forte pegada emocional. Remete a infância, recompensa, prazer, afeto e festa. Para alguns, consola e acalma, para outros, energiza e dá ânimo. Mas na realidade ele nos engana! Vamos entender quais são os riscos do açúcar para a nossa saúde, encarar o lado “psicológico” dessa guloseima, com dicas para reduzir o consumo de açúcar e emagrecer saudável e feliz… De verdade!

O açúcar é uma droga? 

Alguns consideram o açúcar um tipo de droga. Exagero? Veja bem… o açúcar  estimula a produção de serotonina e dopamina, responsáveis pela sensação de bem-estar e prazer. Faz com que o pâncreas produza mais insulina para “combater” o excesso de glicose; uma vez metabolizado, temos como efeito rebote uma sensação de desânimo e “necessidade” de comer mais açúcar.

Temos aí um círculo vicioso, uma verdadeira gangorra emocional. Em uma ponta estão o ânimo e a euforia e na outra a irritação e a depressão.
Parecem sintomas e características de uma droga, no entanto não pode ser considerado assim.

Açúcar, diabetes e outras doenças.

Você sabia que o consumo exagerado está relacionado ao diabetes, Alzheimer, doenças cardiovasculares, obesidade e cáries? Favorece ainda o envelhecimento precoce, “vicia”, podendo levar à compulsão alimentar, e também está relacionado a vários tipos de câncer.

Embora a Organização Mundial de Saúde recomende que o consumo não ultrapasse 10% das calorias diárias, esse ideal é facilmente ultrapassado, já que o brasileiro consome de 3 a 6 vezes mais açúcar que a média mundial.

O açúcar está em todo lugar.


Não se engane, o açúcar pode estar onde você menos espera: até mesmo em pacote de pão. É isso mesmo! Infelizmente a maioria dos produtos industrializados vem repletos de açúcares disfarçados com diversas nomenclaturas distintas: Xarope de Glicose, açúcar invertido, maltodextrina, etc.
Isto é, antes de comprar aquele biscoito ou suco industrializado, atente-se ao rótulo. O ideal é uma diminuição quase completa de alimentos industrializados.

Corante Caramelo
Refrigerantes: uma bomba de Xarope de Glicose

O poder do açúcar sobre o seu bem-estar. 

Por uma mera questão de hábito, após alguma refeição, ou após ver algum doce tentador, pensamos imediatamente: “PRECISO COMER UM DOCINHO“.

MAS SERÁ QUE PRECISA MESMO?  Tudo está ligado ao seu psicológico, que acaba por estragar o seu físico ao final. Quanto menos cedermos à esse engano emocional, mais longe ele ficará. E assim, quando menos esperar, você não terá mais esse pensamento.

Se o objetivo é emagrecer, opte por alimentos com baixos índices glicêmicos e fuja do açúcar, que é considerado um alimento de calorias vazias, ou seja, sem nenhum nutriente.

Dicas para reduzir o consumo de açúcar

Corte o refrigerante da sua dieta, dê preferência às frutas (as secas podem ser uma boa opção de lanchinho ou sobremesa). O mel, mascavo e melado têm alto índice glicêmico, mas também têm micronutrientes, portanto um pequeno melhor aproveitamento pelo organismo . Adoçante à base de Stévia pode ser uma opção segura, os outros são controversos e se for consumir, a sugestão é alternar.

Vá reduzindo aos poucos a quantidade para ir acostumando o paladar, e quando comer açúcar, coma junto algum alimento rico em fibras, proteína ou gordura saudável, isso ajuda a amenizar os picos glicêmicos (gangorra emocional e compulsão por mais doce). As nozes e castanhas podem diminuir a vontade de comer doce e chocolate. Experimente!

Invista no exercício aeróbico, ele aumenta a produção de serotonina e dopamina, diminui o estresse e a ansiedade sem os efeitos colaterais do açúcar e ainda diminui a vontade de devorar aquele doce. E nada de usar comida para resolver problemas, você só vai conseguir mais um.

Nosso paladar se forma pelo hábito. Arrisque novos sabores! Afinal, não somos obras acabadas, estamos todos em movimento e mudança.

Como você lida com a vontade de comer doces? Conte para nós!

Este post foi publicado em por