O que pode e o que NÃO pode ser colocado na composteira doméstica?

Cultive a Natureza no Seu Lar ->
Meu Lar Natural

A Composteira Doméstica ou Minhocário Doméstico é um sistema de reciclagem dos resíduos orgânicos em caixas onde minhocas e microorganismos transformam restos de alimentos em adubos de excelente qualidade. É um sistema prático, compacto, higiênico e de fácil manuseio que não produz cheiro nem atrai insetos nem animais indesejados. Mas quais tipos de resíduos podem ser colocados na composteira?

 

Reutilizar os resíduos orgânicos (cascas de legumes, frutas, restos de alimentos) é indispensável para quem tem plantas em casa ou apartamento, tanto ornamentais quanto comestíveis.

O adubo resultante da decomposição e metabolização desses restos é dos mais ricos que se pode ter. Para os que ainda não possuem plantas em casa/apartamento é um excelente incentivo para começar a plantar e até mesmo doar para vizinhos e amigos caso gere excedente.

 

Veja aqui:

 

O que Não Pode ser colocado na Composteira Doméstica

  • Carnes de qualquer espécie
  • Casca de limão
  • Laticínios, óleos, gorduras.
  • Papel higiênico usado
  • Fezes de animais domésticos.
  • Excesso de frutas cítricas (laranja, mexerica, abacaxi, etc)
  • Excesso de sal (sobras de comida), alho e cebola.

 

O que Pode ser colocado na Composteira Doméstica?

  • Frutas, legumes, verduras, grãos e sementes.
  • Saquinhos de chá, erva de chimarrão, borra de café e de cevada (com filtro).
  • Sobras de alimentos cozidos ou estragados (sem exageros) e cascas de ovos.
  • Palhas, folhas secas, serragem, gravetos, palitos de fósforo e dentais, podas de jardim.
  • Papel toalha, guardanapos de papel, papel de pão, papelão, embalagem de pizza e papel jornal.

 

Augusto Castro é massoterapeuta, reikiano, aprendiz em bio construção, músico percussionista, cursa faculdade de filosofia, autodidata das terapias alternativas e mecânica quântica. Praticante de meditação, buscador dos princípios essenciais que regem o funcionamento do universo, explorador de novos jeitos de caminhar.

Este post foi publicado em por