Como tratar a obesidade dos pets de forma natural

Tudo Natural para Meu Pet ->
Ele Merece

Cães e gatos, assim como as pessoas, podem ficar obesos. A obesidade é uma condição médica em que se verifica a acumulação em excesso de tecido adiposo ao ponto de causar problemas à saúde. A obesidade no pet pode causar inúmeras doenças respiratórias, cardiovasculares, dermatológicas, ortopédicas, deficiência urinária, lipidose hepática, diabetes, osteoartrite, distocia, pancreatite, dificuldade de cicatrização.  Mas com carinho, cuidado e algumas mudanças, é possível tratar a obesidade dos pets de forma natural.

Como verificar se seu pet está obeso?

  • Impossibilidade de visualização das costelas ou senti-las;
  • Ausência de definição da linha da cintura quando visto o pet de cima;
  • Ausência de “dobrinhas” de pele no pescoço, especificamente para os animais que possuem esta característica.

Clique aqui para ver um Índico de Condição Corporal de Cão e Gato (Imagem: Royal Canin)

Como tratar (ou prevenir) a obesidade dos pets de forma natural

1- Identificar as possíveis causas da obesidade;

Antes de começar qualquer tratamento para diminuição do peso do pet, um médico veterinário deve ser consultado para verificar a saúde geral do animal, além de indicar o tratamento mais eficaz.

De acordo com a Dra, Sonali, o primeiro passo para ajudar o animal a perder peso é identificar se ele tem algum problema endocrinológico ou algum outro fator que contribua para o aumento do peso, tais como:

  • Predisposição de determinadas raças, por exemplo Labrador Retriver, Yorkshire, Dachshund Teckle, esta causa está mais ligada aos cães, nos gatos isto não é tão determinante;
  • Idade – cães e gatos idosos são mais propensos a ficarem obesos;
  • Quantidade de comida e/ou falha nos horários. A médica veterinária, Sonali Ribeiro alerta os tutores para procurar não associar carinho com comida e alimentar de acordo com a quantidade especificada para o peso ideal do animal e o nível de atividade;
  • Alteração hormonal, como consequência da castração ou associadas à tireoide, por exemplo;
  • Sedentarismo;
  • Estresse;

2- Estabelecer uma dieta adequada;

Estabeleça uma dieta adequada para que seu pet perca peso de forma gradativa e natural. Adeque a quantidade de alimento ao peso e idade do animal conforme instruções do fabricante e/ou, de preferência com auxílio de um especialista, se você mesma costuma preparar o alimento do seu bichinho. Defina horários certos para as refeições;

3- Suplemento alimentar natural;

Se você costuma dar comida ou ração, é interessante associar a alimentação a um suporte nutracêutico, como um suplemento alimentar, de preferência, natural.

O suplemento alimentar natural otimiza a perda de gordura, ajuda a reduzir o apetite do pet e aumenta a sua energia, como também ajuda a proteger o fígado no processo.

4- Evite sachês e biscoitos industrializados;

Com a refeição mais restrita, os pets tendem a sentir mais fome. Para os petiscos entre as refeições, evite alimentos prontos,  que além de calóricos, contém altas taxas de sódio e podem comprometer ainda mais o metabolismo do animal. Você pode optar  por opções naturais, como:

  • Cenoura (Dá saciedade e não é calórica);
  • Maçã;
  • Sementes de chia hidratadas (contém alto teor de fibras);
  • Receitas caseiras.

 

5-  Atividades físicas, exercícios e muita brincadeira;

Por fim, é preciso também conciliar alimentação à quantidade de atividade física. Dentro dos limites do seu pet, tire mais tempo do seu dia para brincar e fazer passeios mais longos. Sua saúde também agradecerá! 😉

 

E no seu lar?! Como você cuida dos seus pets? Conte pra gente!

Este artigo contou com a colaboração da Médica Veterinária Dra. Sonali Rebelo, especialista em Nutrição Clínica e Funcional do site Tendências Naturebas Pets http://www.tendenciasnaturebaspets.com.br/.

Sobre a autora

Camila Bourgard é jornalista, possui mestrado em Comunicação, mãe da Caju e apaixonada pelo mundo dos pets.
Clique aqui para falar com ela.

Imagem: Reprodução

Este post foi publicado em por