Como plantar tomate cereja orgânico?

Cultive a Natureza no Seu Lar ->
Meu Lar Natural

O Engenheiro Agrônomo Ferreira nos traz as orientações para cultivo orgânico de Tomate, tipo Cereja, principalmente durantes os meses de agosto e setembro. Confira abaixo mais detalhes sobre o período, a produção de sementes, mudas e manejo de doenças e pragas.

 

Épocas de plantio e cultivares:

  • O clima fresco e seco e a alta luminosidade favorecem a cultura, sendo a faixa de temperatura ideal para o cultivo, de 20 a 25ºC durante o dia e de 11 a 18ºC à noite. Na região Sul, o tomate pode ser plantado a partir do mês de agosto até fevereiro, evitando-se regiões que ocorrem geadas.
  • Nas demais regiões podem ser plantadas o ano todo. A escolha correta da variedade é fundamental para o sucesso do cultivo orgânico do tomateiro.
  • Resultados de pesquisa recomendam os tomates tipo cereja (diversas variedades regionais com formato arredondado ou alongado) e tipo italiano (formato alongado), pois, além de serem mais resistentes às doenças e pragas, são mais saborosos quando comparados aos tomates híbridos longa vida, predominantes nos mercados.

Produção de sementes:

  • Normalmente, não são encontradas sementes e nem mudas do tomate tipo cereja, nas agropecuárias, por isso, recomenda-se selecionar bons frutos bem desenvolvidos e maduros, retirando-se a polpa junto com as sementes e depositando num recepiente em temperatura ambiente por 2 dias.
  • Depois deste período de fermentação da polpa, com o auxílio de uma peneira, lavam-se as sementes em água corrente. Em seguida, elas devem ser secadas por alguns dias sobre toalhas de papel ou folha de jornal, mexendo-se de vez em quando para não embolar  e armazenadando num recipiente fechado, na geladeira. Assim as sementes podem manter a germinação por alguns anos.

Semeadura e produção de mudas:

  • A semeadura em bandejas de isopor com 128 células é a mais recomendada para produção de mudas de tomate. O copinho de papel-jornal ou papel pardo e também o copo plástico descartável, utilizado para tomar refrigerantes, perfurados no fundo, também podem ser utilizados.

Manejo de doenças e pragas:

    • Escolha correta da área;
    • Evitar plantios sucessivos ou próximos a lavouras velhas, que servem como fonte de inóculo;
    • Plantio na época recomendada;
    • Uso de cultivares resistentes à doenças e pragas;
    • Adubação equilibrada com base na análise do solo;
    • Produção de mudas sadias e vigorosas;
    • Arrancar e destruir as plantas atacadas por vírus.
    • Evitar o excesso ou deficiência de água;
    • Destruir restos da cultura após colheita final;
    • Realizar rotação de culturas com espécies de famílias botânicas diferentes, especialmente com gramíneas (milho e aveia).

Práticas culturais:

  • A capina é realizada em faixas, mantendo-se limpa a área junto às fileiras de tomate para não haver competição com os “matos”. Nas entrelinhas, deve ser deixada uma faixa de plantas e, quando necessário, deve-se roçá-las para evitar que elas possam competir por luz;
  • Em média, recomenda-se, preferencialmente, 1 kg de composto orgânico ou cama de aviário curtida, por planta, que devem ser aplicadas por ocasião da primeira capina e amontoa e repetida aos 20 e 40 dias após a primeira adubação;
  • A prática de amontoa consiste no aterramento do caule da planta com o auxílio de uma enxada nas linhas de plantio, deslocando-se a terra da entrelinha para próximo às plantas;
  • O tutoramento consiste em promover suporte às plantas a fim de mantê-las eretas, obter melhor aeração e exposição à luz, além de facilitar os tratos culturais e a colheita dos frutos. O tutoramento recomendado é o vertical, utilizando-se cercas, galhos ou moirões de taquara ou bambu mais grossos com 2m de altura a cada 10m, enterrados a 40cm no solo. Ao lado de cada planta são fincadas no solo taquaras rachadas com 2,20m de comprimento, sustentadas por um fio de arame (número 18), à altura de 1,5m do solo;
  • A amarração das varas é feita com o próprio arame, antes de ser esticado, enrolando-o em torno das varas. O tutoramento deve ser realizado quando as plantas atingem cerca de 30 cm de altura, normalmente logo após a amontoa. Amarração consiste em fixar a planta à vara de taquara, utilizando-se ráfia, corda, barbante ou outro material. A planta deve começar a ser amarrada quando tiver 30 cm de altura. À medida que a planta cresce, é preciso fazer novas amarrações, normalmente em intervalos de 7 a 10 dias. Para evitar o ferimento e o estrangulamento do caule, faz-se a amarração com uma laçada na forma de oito deitado, deixando-se uma folga.

 

Não deixe de ler as orientações de cultivo orgânico do tomate cereja aqui!

Este post foi publicado em por