Como limpar os dentes dos seus animais

Tudo Natural para Meu Pet ->
Ele Merece

A higiene bucal deve fazer parte da rotina de cuidados com os bichinhos, e quanto mais cedo começar, melhor e mais fácil.
Mas não desanime se o seu mascote já é um adulto, mesmo assim é possível, com técnica, orientação e adestramento, ensiná-lo a pelo menos permitir que o serviço seja feito.

Vamos ver como limpar os dentes dos seus animais de estimação. Lídia S. Augusto, veterinária e parte da equipe da AgendaPet, nos traz algumas dicas. Vem comigo!

A importância de uma boa higiene bucal

Uma boa higiene bucal é importante para a saúde geral do seu bichinho. Manter o tártaro longe ou sob controle evita complicações como mau hálito, cáries, infecções, problemas de gengiva, perda dos dentes ou outros problemas periodontais, além de infecções graves que podem até mesmo serem fatais, como endocardite (coração), problemas no fígado e rins.

Como limpar os dentes dos seus animais – parte prática!

Para prevenir esses problemas comece o quanto antes, de preferência ainda filhote, a acostumá-lo com a prática da escovação. Compre produtos específicos para o seu animal, como escovas (cerdas e tamanhos diferentes), dedeiras (cães menores e gatos) e pasta dental de uso veterinário (sabor agradável para o bichinho, como frango ou carne).

Nunca use creme dental humano, eles produzem muita espuma, são tóxicos e oferecem riscos ao serem ingeridos por eles.

Primeiro, familiarize seu amiguinho com o toque e objetos na boca dele. Comece acariciando o focinho, dentes e gengiva com os dedos e só depois que essa etapa estiver tranquila (pode levar mais de uma semana) use a escova e a pasta. Adote uma postura amigável, ajoelhando-se ou sentando no chão e, antes de usar a pasta com a escova, coloque um pouco na sua mão e apresente ao animal, assim ele vai se familiarizar com o cheiro, sabor e textura do creme dental.

Sempre que ele permitir a escovação recompense-o com um carinho, brinquedo e até uma guloseima, isso ajudará o bichinho a associar a escovação a algo positivo e ficará mais fácil na próxima tentativa.

O ideal é que a escovação seja diária e dure aproximadamente 1 minuto. Comece concentrando-se em escovar a parte externa dos dentes, massageando as gengivas com movimentos circulares e suaves. Caso o animal já esteja acostumado e reaja bem, faça a escovação completa, incluindo a parte interna e os dentes lá do fundo.

É importante que se façam as primeiras escovações com a ajuda e orientação do veterinário, ele pode oferecer a técnica e segurança iniciais para a empreitada. Se o tártaro (placa bacteriana) já estiver presente, você não vai conseguir remover com a escovação, busque ajuda de um veterinário que ofereça serviços de odontologia veterinária para fazer a remoção, um procedimento relativamente simples que dura entre 15 a 30 minutos, quando não há complicações, sendo necessária uma avaliação de risco cirúrgico por causa da anestesia.

Algumas raças são mais propícias à formação de tártaro, como as de focinho achatados (Pugs e Shih tzu), bem como aqueles que se alimentam de comida para humanos, que tendem a desenvolver tártaro mais precocemente e precisam de atenção redobrada.

Todos esses cuidados e práticas se referem a cães e gatos. O procedimento é muito parecido, alguns gatos se adaptam bem com dedeiras – fale com o seu veterinário qual a melhor forma de fazer a higienização. Lembre-se de proteger as unhas dos bichanos para evitar os arranhões e tenha paciência e determinação, não vai ser de uma hora para outra que a tarefa vai ser aceita, vá aos poucos acostumando o bichinho com esse cuidado tão importante para a saúde deles.

Pequenos sangramentos podem ocorrer por falta de hábito ou indicando que a pressão da escovação está muito forte. Mau hálito e sangramentos intensos merecem uma avaliação especializada.

Coadjuvantes para uma boa saúde bucal

A escovação é a forma mais eficiente de prevenir complicações na área bucal, mas nem por isso devemos desprezar maneiras coadjuvantes que ajudam na limpeza dos dentes, como os brinquedos específicos, tomando o cuidado na escolha do material (muito duros, parecidos com resina, podem provocar fratura dental) e ainda rações secas com aditivos, produtos para serem adicionados à água e sprays que auxiliam no controle do tártaro. Ossos e tiras de couro são de eficácia controversa, sendo que alguns podem até mesmo adoecer o animal.

Aqui no Lar Natural há várias receitinhas e truques naturais para uma série de questões! Explore a nossa busca na lupinha e descubra muitas receitas e dicas!

Colaboraram com esse artigo os profissionais da AgendaPet, onde você contrata os diferentes serviços para seu pet, sem sair de casa. Confira o trabalho deles aqui!

A gente quer conhecer você de pertinho para conseguir fazer matérias na medida dos seus desejos e necessidades, então conte pra gente quais são as suas dúvidas de alimentação. O que você quer ver nos nossos artigos e vídeos? Conte pra gente!

Clique aqui para assistir aos vídeos do Lar Natural no Youtube!

Compartilhe esta matéria pelo Facebook ou Google +

Foto: Trips With Pets

Este post foi publicado em por