Algodão orgânico: um grande aliado para um armário mais saudável e ético

Guia essencial para a saúde íntima ->
Quero baixar

Assim como na alimentação orgânica, é muito importante conhecer melhor as roupas que compramos. Um consumo consciente de moda comporta questões de saúde – nossa e de quem produz o que vestimos – e preocupações éticas com a cadeia de produção das peças. Essas preocupações vão desde as condições de trabalho nas fábricas, como já falamos aqui, ao preparo da matéria prima dos tecidos. Prestar atenção em alguns aspectos da indústria da moda pode ajudar a encontrar roupas mais naturais, éticas, duradouras.

Os benefícios dos tecidos ecológicos são bastante conhecidos e é preciso ter em mente que o algodão orgânico mostra não só vantagens para a saúde de quem veste as peças, mas também garante que o agricultor que participou do plantio e da colheita não foi intoxicado por agrotóxicos nesse processo. Documentários como The True Cost denunciam, por exemplo, o cultivo em larga escala de algodão e o impacto do uso de pesticidas na saúde e no endividamento de pequenos agricultores na Índia.

O algodão também apresenta outra vantagem em comparação com outras fibras naturais, como a seda e a lã. Ao contrário delas, ele não é de origem animal, sendo umas das melhores opções para os consumidores que procuram um estilo de vida vegano para além da alimentação.

Ao comprar qualquer nova roupa, é importante pensar em todo o seu impacto, inclusive depois do descarte. Peças feitas 100% do mesmo material são mais fáceis de ser recicladas. Combinado com os demais benefícios do tecido natural, esse fator deve ser levado em conta na hora de investir em roupas feitas completamente de algodão orgânico, evitando sempre que possível malhas feitas a partir da mescla de diferentes fibras.

Exigir transparência das marcas das quais somos compradores é fundamental para assegurar que ninguém sofreu para que nossa roupa fosse produzida. É responsabilidade de governos e fabricantes fiscalizar e garantir condições de trabalho dignas na indústria, mas os consumidores também têm o poder de exigir conhecer a cadeia de produção e boicotar empresas que não demonstram ter boas práticas. Uma maior preocupação com o tecido de nossas roupas traz benefícios para nós, para os trabalhadores da indústria têxtil e para o meio-ambiente.

 

E você?! Como escolhe suas roupas? Compartilhe conosco suas dicas e experiências!

 

Sobre a autora

Gabriela Roméro é jornalista e mestre em Relações Internacionais. Mora atualmente no sul da Alemanha, onde dedica seu tempo a pensar sobre moda ética e tentar mudar o mundo uma peça por vez. Clique aqui para falar com ela e acessar sua Newsletter.

Imagem: Instituto Akatu (Reprodução)

Este post foi publicado em por